sábado, 17 de março de 2012

Temos Que Ser Responsáveis Pelo Bem Estar Do Próximo

Queridos(as) e Amados Irmãos(ãs)!

Ontem 16.03.2012, fiquei contrangido com a notícia que estava faltando remédios para os doentes de leucemia em PE. Fiquei pensativo, de como essas pessoas vão conseguir sobreviver sem os remédios indicados pelos seus médicos para que possam esperar um futuro transplante de medula óssea, sem que a Secreteria de saude de PE, tenha um pingo de sensibilidade para com esses doentes.
A resposta da Secretaria acima foi de que houve um erro no pedido do remédio para os pacientes. Acontece que a Secretaria está trocando o sentido das coisas, erro para falta de responsabilidade, pois o ser humano, seja qual for sua situação merece todo o nosso respeito. Foi dada uma busca em hospitais e o que conseguiram foi quatro caixas de remédios que custa cada caixa a baguatela de R$ 12.000,00, o que é humanamente impossível para os trabalhadores de um país onde o salário mínimo é pouco mais de 600 reais, adquirir tal remédio que vai prolongar sua vida, ou talvez com um transplante ficar curado segundo seu merecimento. O que aconteceu foi que não se sabe como foi dado as quatro caixas de remédio e não sabemos qual foi o critério, mas a maioria continua sem a droga que ajudaria na sua qualidade de vida e espera do tão esperado transplante.
A responsável Secretaria por meio de pessoa credenciada, comunicou que dentro de 10 dias as coisas estarão normalizadas, mas sabemos que a burocracia nunca faz as coisas andarem de acordo com as necessidades e pergunto? até que ponto vai a maldade humana? O mundo está em transição e pessoas que querem o mal coletivo, ao desencarnarem, irão reencarnar em mundo primitivos para desenvolverem seu senso moral e ao mesmo tempo ajudar as civilizações primitivas de outros planetas a evoluirem com o que existe de bom nessas pessoas. Aí haverá prantos e ranger de dentes.
Que Jesus ilumine essas pessoas, para que acordem e não precissem passar por todo esse processo, amando o próximo como a si mesmo!
Muita paz em Cristo!

Por: Antonio Carlos Laranjeira Miranda.