domingo, 17 de novembro de 2013

EDUCAÇÃO INTEGRAL

Divaldo Franco e Joanna de Angelis

 Lições para a felicidade – Importância da educação. - O termo educação é mais abrangente, mais profundo em significado do que aquele que conhecemos.
Educação não se expressa só como transmissão de conhecimentos no campo intelectual a que comumente chamamos educação acadêmica. - Vai mais além. A educação integral não se revela só como aprendizagem no campo da razão e do raciocínio – mas é sempre acompanhada pelo campo dos sentimentos. Campo que possibilita nos tornarmos seres mais solidários, humanos – generosos – fraternos. - Quando reencarnamos trazemos em nosso campo mental emocional uma formação ancestral de vivências passadas rica de valores positivos e negativos, necessitando de aprimoramento e reformulação para o positivo. Estamos todos inseridos na Lei de Progresso irreversível da qual nos fala o Livro dos Espíritos. A criança traz em si como ser milenar que é, esta herança mental que precisa ser corrigida e aprimorada para uma continuidade evolutiva que vai lhe proporcionar a reeducação do seu Espírito que é o objetivo primordial da reencarnação. Todos nós somos dotados do princípio inteligente, por Deus que nos criou e que nos possibilita pensar, sentir, raciocinar, discernir, usar o esforço, a vontade, a livre escolha, pelo livre arbítrio – aprendendo na vivencia de experiências passadas e presentes.
- Todos nós em nossa vida de relação usamos para nos expressarmos, tendências, aptidões e hábitos que desenvolvemos em vivencias passadas e que se expressam em nossa vida social, afetiva, profissional, cultural, etc... O Livro dos Espíritos chama de ideias inatas que se revelam intuitivamente. - Estas tendências e hábitos precisam ser aprimoradas pela Educação Moral, alem da intelectual. Nos preocupamos como pais e professores a oferecer às crianças e jovens a instrução acadêmica no sentido de oferecer bons colégios, aulas de inglês, computação, ginástica, etc... Isto não basta. É fundamental e importante a Educação moral no campo dos sentimentos. Ex: Vemos seres humanos muito intelectualizados sem noção moral e de respeito ao outro. - Se a criança não for bem orientada para o campo moral, vai continuar com os mesmos hábitos que trouxe do passado, e vai continuar pautando a sua vida por estes mesmos hábitos, perdendo oportunidades valiosas de evolução no campo moral. Daí o cuidado que precisam ter pais, professores, responsáveis que são agressivos, rígidos, autoritários e que passam para a criança exemplos ruins, no campo dos sentimentos.
 - Vão tornar as crianças agressivas, aturdidas, desconfiadas, irresponsáveis, inseguras. Estas crianças vão agir pelos instintos que vão resultar em ações e reações biológicas, nas quais não prevalece o uso da razão, do equilíbrio e do bom sentimento. - Como resultado vemos crianças e jovens praticando atos muitas vezes cruéis por não terem nenhuma noção sobre si mesmo e que causam sérios problemas e prejuízos no campo social, pela falta de crescimento moral – espiritual. É a partir da infância que será possível a educação integral – razão e sentimento para a educação do caráter do cidadão que se tornará uma pessoa com condições de colaborar nos variados campos: social, profissional, familiar, afetivo, etc... PRODUTIVAMENTE.
A educação acadêmica – no campo intelectual, abre as portas para atividades externas, propiciando ao Ser adquirir conhecimentos que o tornam capaz para os enfrentamentos e os desafios da vida no campo das conquistas da ciência, tecnologia, adoção de doutrinas filosóficas, sociais, desenvolver suas aptidões para a cultura, a arte, crença religiosa, etc... - Mas é a educação moral que irá desenvolver os sentimentos a que tornarão a criança capaz de superar o egoísmo, a crueldade, a imprevidência, o orgulho que são terríveis inimigos do progresso pessoal, social e coletivo. O progresso individual é que irá auxiliar no progresso coletivo. Como exemplo, as guerras, as lutas nos seus variados campos, em suas variadas expressões. - A educação moral, vai auxiliar o Ser a trabalhar positivamente a sua personalidade, propiciando campo para o crescimento de impulsos morais edificantes – guiando o pensamento de cada um no rumo dos deveres – impulso moral – oferecendo-lhes forças para que propiciem aptidões nobres nas escolhas inevitáveis do dia a dia. O auxiliam a escolher positivamente. O que vemos pelos noticiários, são crianças em nossas escolas, praticando atos cruéis a que chamam “bulling” com outras crianças indefesas ou formando grupos rivais chamados “gangs” que se confrontam para ações nefastas. Em processo de competitividade doentia. - Estamos em processo de evolução individual e coletiva, em processo de reconstrução de sentimentos para um planeta melhor e é pela educação integral – intelectual – moral é que vamos conseguir modelar hábitos saudáveis – roteiro de segurança, equilíbrio de comportamento e interesse pelas conquistas éticas que são indispensáveis à evolução da Humanidade. Pela interconexão energética – magnética – precisamos auxiliar na construção de um planeta melhor colaborando para o todo universal, para o psiquismo do planeta na observação do que pensamos, sentimos e como agimos. - Não prescindimos da vivencia de hábitos e quem não possui hábitos bons vai continuar a ter hábitos maus pelo processo de continuidade do que foram no passado. Todos nós temos em germe, tendência para a beleza e sublimação. Fomos criados por Deus e temos a essência divina em potencial a ser desenvolvido. A lei de Deus é lei de Amor e está inscrita em nossa consciência para ser desenvolvida por cada um de nós pelo processo evolutivo, como nos fala o Livro dos Espíritos. Emmanuel, no Livro Religião dos Espíritos, nos fala que a criança até determinada idade, antes de atingir a adolescência, traz suas faculdades que a permitem pensar – sentir – entorpecidas para que se torne mais susceptível a receber impressões novas e novos conceitos cristãos bem direcionados para a aprendizagem moral. - A criança é como qualquer um de nós um SER PSICOLÓGICO, com pensamentos e sentimentos que precisam ser estimulados a pensar – questionar – dialogar – realizando descobertas que a preparem para os novos enfrentamentos que a vida lhes reserva, não só no campo intelectual como moral. - Quando apresentar impulsos generosos precisa ser estimulada e quando apresentar impulsos agressivos precisa ser desencorajada e esclarecida. As crianças nas primeiras fases apresentam impulsos agressivos, orgulhosos, egoístas como herança mental do passado. É importante a atenção dos pais e professores sobre estes impulsos. Que os adultos a façam entender e perceber que os sentimentos de piedade – ternura -0 bondade – são manifestações aceitas e respeitadas por todos que com ela convivem. - Que dialoguem com as crianças, que o pensamento e sentimento são faculdades que as auxiliam a refletir. Não usar imposições e agressões que as levem à revolta. Exemplo de um oriental no trato com os filhos, que os colocava quando agressivos, para ler e interpretar leituras edificantes com explicações posteriores realizadas por cada um em conjunto com o pai. - Educar é o processo que precisa levar em conta as diferenças individuais – as condições mentais – emocionais do educando que se refletem em sentimentos de medo, ansiedade, angustia, insegurança, levando-os a conflitos existenciais. - Educar é se educar e em um processo de interação do adulto e a criança, e o meio no qual convivem, porque as experiências são contínuas, e estão sempre sendo reformuladas pelo processo dinâmico do viver. - Precisamos aprender a interagir com as mudanças por este processo dinâmico de vida que não é estático e sofre mudanças a todo momento. Ex: muitas vezes, pais irritadiços, nervosos, angustiados passam seu estado de animo para os filhos, assim como tambem os professores na escola passam para os educandos. - Na educação integral – intelecto moral, não existe o pronto – concluído porque pela própria dinâmica do viver, precisamos aprender a ter flexibilidade de reações perante os problemas e imprevistos da vida como um todo. - É importante observar as nossas reações frente às reações alheias e aprender a interagir com a criança e o jovem – para que possamos saber viver com equilíbrio as mudanças que surgirem. - Quando não sabemos interagir, procuramos vias de fuga para nossos conflitos. Procuramos bebidas, drogas e outros comportamentos não confiáveis, no campo das sensações, tais como sexo mal direcionado em busca de sensações sem amor. - Precisamos todos, crianças, jovens e adultos aprender a realizar nossas próprias descobertas – pensando, questionando, refletindo pela observação contínua de nossos pensamentos e sentimentos e também pela análise do que somos pensamos e como agimos, porque somos o que pensamos e sentimos, nos fala a mentora espiritual Joanna de Ângelis. Não usemos métodos autoritários, rígidos, pois impedirá a criança de desenvolver seu próprio potencial, tornando-a medrosa, irritadiça e insegura. - O espírito que reencarna traz em seu inconsciente tendências, aptidões, percepções variadas, fobias, frustrações, neuroses, psicoses e também bons sentimentos que precisam ser estimulados e trabalhados assim como os transtornos mentais - emocionais precisam ser tratados. Precisamos aprender a ter visão psicológica que nos leve a observar a criança em suas atitudes internas e externas. Não deve haver severidade exagerada, nem negligência, nem agressão, mas firmeza, com serenidade e calma. Só aquele que se observa e se auto-conhece é capaz de auxiliar plenamente o outro. É importante a observação da criança e do jovem – o diálogo – usando técnicas de amor que são reveladas pela observação, carinho e respeito pela criança. Ex: O pai do asilo. Um pai foi visitar o avô da criança em um asilo para idosos. Ao sair com o filho este lhe perguntou: “papai é aqui que eu vou colocar você quando ficar velho?” O pai atemorizado, retirou seu pai do asilo. Isto mostra que o exemplo se transmite pelo respeito e amor pelos mais velhos. A nossa Casa oferece cursos de Evangelização para crianças e jovens. O lar é a primeira escola e os pais os primeiros professores. À matéria lecionada na escola é importante acrescer as lições do Evangelho para a efetiva iluminação das mentes que estão a caminho das esferas superiores. Pitágoras, filósofo grego dizia: “Educai as crianças e não será preciso punir os adultos.