sexta-feira, 9 de abril de 2010

A Gratidão


Algo extremamente nobre que o ser humano pode produzir – A gratidão.
Beneficia quem oferta, recompensa quem recebe.

E para que sejamos gratos, um pouco de nostalgia faz bem, relembrar nossa história e aqueles que fizeram parte de nossa vida em determinado momento da existência, não deixa-nos esquecer do bem que fizeram-nos e das situações que vivenciamos.

Se estamos aqui hoje demos graças a Deus e a nossos pais.

Se recebemos instrução nos orientando as primeiras letras, demos graças a nossos primeiros professores.

O que falar então dos amigos de infância que nos trouxeram inúmeros momentos de recreação, fazendo-nos mais felizes e proporcionando-nos as primeiras experiências fora do seio familiar.

Como esquecer de nossos colegas de profissão que nos acolheram e orientaram quando iniciávamos em nova atividade profissional.

E as criticas, as reprimendas que ganhamos de nossos pais, professores, coordenadores, foram elas nossas preciosas mestras, fazendo-nos retomar o caminho do bem quando dele nos afastávamos.

Imagine o que seriamos hoje se não nos colocassem limites mostrando-nos que nosso direito vai até onde começa o do próximo, pode ser que na época tenhamos nos melindrado, porém, mais amadurecidos pelas experiências de vida, damo-nos conta de que criticas, reprimendas, fizeram-nos enorme bem auxiliando-nos a moldar valores que jamais perderemos.

Cada ser humano que passa pela nossa vida é motivo de eterno agradecimento, porquanto, lega-nos sua peculiaridade, suas lições, sua bagagem de conhecimento, mesmo àqueles que julgamos desnecessário termos conhecido, ou até mesmo que a presença tenha causado-nos sensível embaraço, no futuro agradeceremos pela experiência que nos ensinaram.

Pois a vida é feita de experiências, algumas boas, outras nem tanto, mas em realidade todas são pedagógicas objetivando nos fazer melhorar como seres humanos.

Lembro-me de amigo que agradecia eternamente pelo desemprego que enfrentara por longos anos de sua vida, dizia ele:

- Graças a esse tempo de desemprego fui obrigado a refletir no porquê de minha instabilidade profissional, percebi assim que o problema estava comigo e que minhas atitudes irresponsáveis estavam causando mal a mim e minha família, hoje dou graças a todos que não passaram a mão em minha cabeça, pois a falta de disciplina premia a incoerência e cria abusos. Graças a todas essas pessoas hoje sou mais responsável, coerente e valorizo realmente o que conquisto.

Amigo leitor, o caminho é este mesmo, agradecer, lembrar com carinho das pessoas, dos momentos, das situações, pois são eles nossos professores na estrada da vida, se muito sabemos, se muito conquistamos, devemos a esse intenso intercâmbio que temos uns com os outros.
Pensemos nisso!



Artigo gentilmente cedido por Wellington Balbo
Baurú - SP