segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Ciência, Filosofia e Religião

Fala-se muito em espíritos, espiritismo, vida após a morte, mas quase nada se sabe a seu respeito. Os adversários do Espiritismo desconhecem tudo a respeito e fazem tremenda confusão.Os próprios espíritas, por sua vez, na sua esmagadora maioria estão na mesma situação. Pois os dois lados partem do preconceito e agem por precipitação.

Quer dizer formularam uma idéia pessoal da doutrina, um esterereótipo mental a que se apegaram.

Mas fica a pergunta quantos sabem que o Espiritismo foi pesquisado por um verdadeiro batalhão de cientistas. Foram Físicos, Químicos, Psicólogos e estão a dispor de qualquer um que queira analisar suas descobertas, pois hoje com o acesso a WWW você digita lá no.

GOOGLE por exemplo; Oliver lodge, Alfred R. Wallace, Myers,Willian Crookes este ultimo em entrevista publicada no The International Psychic Gazette de 1917

Disse "É uma verdade indubitável que uma conexão foi estabelecida entre este mundo e o outro Isto depois deste físico e químico inglês ser desafiado a comprovar que Katie King um espírito de mulher que se materializava, não era uma farsante foram três anos. De 1870 a 1874, o. Físico pacientemente observa, controla, mede, pesa, repete 14 fenômenos, desde movimentos, ruídos, luzes e a materialização de uma mulher que ele tira mais de 50 fotos.

Quer dizer fez tudo que se faz contigo ou comigo só que era um espírito tudo registrado e passado pelo crivo de outras centenas de cientistas contrários a tudo que foi descoberto.

Nenhuma outra doutrina, no mundo, passou incólume por tantas investigações promovidas por grandes cientistas que a contestavam.

Dai parte a Ciência Espírita que é o fundamento da Doutrina, sobre ela se ergue a Filosofia Espírita, e desta resulta naturalmente a Religião Espírita.

O Espiritismo é, a síntese essencial dos conhecimentos humanos aplicado à investigação da verdade. É o pensamento debruçado sobre si mesmo para reajustar-se à realidade.

É a resposta racional e lógica para a pergunta: 'De onde venho?'"Porque estou aqui?", Para onde vou?.

Mas não é e nem pretende ser uma religião social, pelo que não disputa um lugar entre as igrejas e as seitas, mas pretende arrancar o homem da animalidade e levá-lo à moralidade.

Sua finalidade não é combater, contrariar, negar ou destruir as religiões, mas auxilia-las. Sem com isso endossar os apegos aos formalismos religiosos, ou sua aderência às circunstâncias. Pois diante das leis evolutivas que impulsionam o homem para além das suas convenções circunstanciais isto só enfraquece e diminui as religiões.

É um curioso espetáculo na arena intelectual, e religioso em que vemos o homem lutando, por orgulho, para sustentar que não é mais do que pó e cinza.