quinta-feira, 9 de junho de 2011

A Fé religiosa e a Medicina

Além de demonstrarem que as pessoas mais espiritualizadas são mais felizes, pequisas realizadas em várias Universidades Americanas vêm apontando que elas também têm maior facilidade em sair dos processos depressivos, menos chance de se suicidarem, menor envolvimento com álcool, cigarro(drogas lícitas), ou drogas ilícitas
São menos ansiosas, não tem tantos medos e, casadas, mais estabilidade e satisfação em seus relacionamentos.
Os estudos também revelam que pessoas com fé enfrentam melhor o estresse, através do equilíbrio emcional e, portanto envelhecen mais lentamente. A pressão sanguínea torna-se normalizada, já que a religião traz sensação de paz.
A cicatrização pós-cirurgia é melhor. Algumas pesquisas também apontaram que pacientes com HIV ligados a prática religiosas tinha em seus organismos mais linfócitos que atacam o vírus da doença.
De acordo com o pesquisador Harold Koenig, da universidade de Duke, na Carolina do Norte(EUA), de fato a prática religiosa tem relação profunda com a saúde. "As pessoas que creem, têm fé, acham que vão enfrentar tudo melhor", afirmou. E é por isso, segundo Ele, que as Faculdades de Medicina estão começando a ensinar que a religiosidade é importante nas vidas das pessoas.
É importante mentalizar que tudo o que machuca também pode beneficiar. Ou seja, é sábio quem vê nas dificuldades uma oportunidade de crescimento e de fortaleza.
Se somos filhos do homem mais poderoso do Universo e andamos em um caminho digno de um homem de bem, o que devemos temer?
Antonio Carlos Laranjeira Miranda