quarta-feira, 3 de agosto de 2011

A Turma do "Eu Avisei"

No ambiente familiar, religioso ou profissional, certamente já convivemos com a Turma do Eu avisei.

È fácil identificá-los, pessimistas incorrigíveis tem sempre uma palavra de desânimo e de desencorajamento.

O profissional que julgando o patrão um explorador torce contra a própria empresa!

O cônjuge que sepulta os sonhos do outro com suas tendências negativas!

O religioso que procura entravar os ideais de seus companheiros de jornada!

Estes estão sempre a espreita, na espera de um insucesso para dar o ar da graça, quando isso acontece, afirmam vitoriosos: - Eu avisei, eu disse que não daria certo!

Para eles tudo é imensamente trabalhoso e doloroso.

A qualquer idéia nova sustentam inúmeras objeções!

Refratários as iniciativas e as mudanças, preferem sempre o acomodamento e a facilidade, julgam assim, estarem seguros quanto as intempéries da vida.

Ignoram que não estamos aqui por mero acidente biológico!

Certamente serão obrigados a mudar suas concepções pela marcha inexorável do progresso humano!

Entretanto, graças a bondade divina temos pessoas que rompem com a Turma do eu Avisei.

Empreendedores que com suas iniciativas trazem o progresso e as benfeitorias ao ser humano, certamente não dão ouvidos a essa Turma!

Voluntários de instituições filantrópicas que desenvolvem fantástico trabalho em prol do desenvolvimento humano ignoram essa Turma!

Idealistas que empregam seu tempo na busca de melhores condições de vida a seus semelhantes desafiam freqüentemente a Turma do Eu avisei!

Ao contrário do que alguns pensam não precisamos ser gênios ou criaturas angelicais para romper com essa turma.

Precisamos sim, de boa vontade!

Aliás você faz parte da Turma do Eu Avisei?


Artigo gentilmente cedido por Wellington Balbo
Baurú - SP