terça-feira, 10 de maio de 2011

Agora é o Momento Decisivo Para Fazer o Bem.

Quantos momentos deixamos de aproveitar para fazer o bem? Ou, melhor, quantas oportunidades perdemos para "quitar" parte de nossas dívidas, contraída nessa e em outras reencarnações?
Como nos fala Emamanuel, na mensagem acima: "Agora é o momento decisivo para fazer o bem".
A partir do momento em que sabemos distinguir à luz do Evangelho o cero do errado, o bem do mal, qualquer momento desprezado é a oportunidade que se perde por tempo indeterminado.
Sim, tempo indeterminado! Não sabemos quando aquela oportunidade, por exemplo, de se reconciliar com nossos desafetos surgirá novamente. Lembremos que os desafetos de hoje são os mesmos do passado e, seguindo essa linha de raciocínio, por mais quantas encarnações continuaremos a persistir em não nos reconciliarmos? O momento é decisivo!
"Se desejas ser desculpado de alguma falta, aproxima-te, agora, daqueles a quem feriste e revela o teu propósito de reajustamento.
Quase sempre nos colocamos como vítimas das situações e das pessoas.
Supondo sermos as vítimas, pergunto por que Jesus, em sua vinda há mais de dois mil anos, rogou ao Pai Celeste, quando pregado na cruz: " Pai perdoa-os, porque não sabem o que fazem"?
Se sabemos que o Mestre nada nos deve, como, então, ainda pedir perdão por nós?
O exemplo de Jesus é claro. Diante do próximo, qualquer que seja a sua condição, o perdão deve ser uma meta em nossas vidas, pois é a única forma de reajustamento e progressão espiritual que tanto desejamos, mas que pouco fazemos para alcançar.
O que adianta suplicar perdão e não perdoar, falar sobre o perdão, sobre o bem e não oferecê-los?
Sigamos adiante, perdoando e trabalhando para que o Bem se instale em nossa querida Terra, mesmo nos momentos mais difíceis.
Contribuamos "em favor da alegria e da paz", pois não somos vítimas de nada e nem de ninguém.
Entretanto, não sejamos vítimas de nós mesmos, por causa de nosso livre-arbítrio,
usando muitas vezes, sem responsabilidade.
Gimenez