sexta-feira, 11 de março de 2011

Espiritismo no Século XXI

No Universo a única coisa constante é a mudança.Desde os primórdios, o homem vem evoluindo seus hábitos, suas ações, seus pensamentos, evoluindo cada vez mais no plano encarnatório Terreno.
Diante do exposto, porque as religiões deveriam estar estagnadas? Logo Elas que oferecem instrumentos e instruções para que as pessoas realizem a reforma íntima e trabalhe para um mundo mais justo e fraterno.
Como não podia deixar de ser, O Espiritismo vem se adaptando às mudanças no Universo, na área científica, filosófica e social. Não será possível pensar em Doutrina Espírita e recorrer somente aos fenômenos. Isso é importante. Foi aí o começo de tudo. Mas a Dutrina Espírita hoje deve ser vista com um outro parâmetro, o parâmetro da contextualização. Com este novo olhar sobre o Espiritismo,será levado para as pessoas, os instrumentos e instruções necessárias para entrar em sintonia com os desafios do mundo atual.
Com este olhar, fica mais fácil o entendimento desses desafios que a atualidade nos apresenta e, consequentemente, consegue-se chegar com mais facilidade ao caminho da paz e da evolução.
Mas de nada adianta conhecer o Espiritismo, sem colocá-lo em prática,pois sem a prática não há a transformação. Pessoas que estão na terceira idade, mas que cuidam do corpo e do espírito, estão no auge do bem estar. A nova idéia é seguir o exemplo deles, procurar saber mais sobre as novas gerações e verificar a importância da Doutrina Espírita para vários personagens da História de vida.
Vivemos em constante transformação que um dia nos levará a casa dos bem aventurados. Lembre-se: Água estagnada apodrece! Não Vamos nos alienar e sim traçar novos horizontes para ajudar-nos na nossa subida na escala espiritual, pesquisando, analizando e pondo em prática, tudo aquilo que enriquece os verdadeiros valores éticos-morais do homem.

Antonio Carlos Laranjeira Miranda