quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Centenário de Chico Xavier no Ano Novo

Antonio Cesar Perri de Carvalho
Diretor da Federação Espírita Brasileira e Coordenador do Projeto Centenário de Chico Xavier

A passagem de ano gera ambientes de novidades, expectativas e esperanças.

Para os espíritas, o ano de 2010 terá uma especial motivação – as comemorações do Centenário de Francisco Cândido Xavier, coordenadas pela Federação Espírita Brasileira (FEB).

Esse destacado personagem de nosso país - escolhido mediante votações como o “Mineiro do Século” (Século XX) e uma das cinco personalidades ilustres do Brasil -, teve uma longa vida de muito trabalho na área espiritual e de amorosa dedicação ao próximo.

A abertura das comemorações do Centenário de Chico Xavier ocorre nos dias 1o e 2 de janeiro, na sua terra natal, Pedro Leopoldo. Nesta cidade Chico Xavier viveu até 1958, consolidou sua atuação mediúnica e humanitária, e, mesmo residindo em Uberaba, ali voltava para passar as festas de final de ano. O presidente da FEB Nestor João Masotti faz palestra e o presidente da União Espírita Mineira tem atuação no evento, no Centro Espírita Luiz Gonzaga, que teve Chico Xavier como um dos fundadores, e, em outros locais onde o médium atuou.

Entre várias ações do “Projeto Centenário de Chico Xavier”, coordenado pela Federação Espírita Brasileira, destaca-se o 3o Congresso Espírita Brasileiro, programado para os dias 16 a 18 de abril de 2010, em Brasília. O tema central deste evento sintetiza as linhas mestras de ação do homenageado: “Chico Xavier: Mediunidade e Caridade com Jesus e Kardec”. Ao longo do ano ocorrerão lançamentos de livros e de filmes.

A trajetória de vida de Chico Xavier é ilustração de que muito se pode fazer em benefício do próximo, a partir de gestos simples de apoio e carinho. O conforto espiritual integra uma das necessidades básicas do homem. Mesmo o aparato tecnológico e as facilidades do mundo moderno não dispensam o contato humano e a certeza da vida imortal, que se traduzem por solidariedade e fraternidade.

O dia 1o de janeiro – considerado de confraternização universal -, é excelente oportunidade para reflexões, pensando-se no planejamento de um ano que contribua para a conquista de maiores parcelas de felicidade e a paz, individualmente, e para a coletividade.

A propósito, transcrevemos o singelo poema “Carta de Ano Bom”, do Espírito Casimiro Cunha, psicografado por Chico Xavier:

Carta de Ano Bom

Entre um ano que se vai
E outro que se inicia,
Há sempre nova esperança,
Promessas de Novo Dia...

Considera, meu amigo,
Nesse pequeno intervalo,
Todo o tempo que perdeste
Sem saber aproveitá-lo.

Se o ano que se passou
Foi de amargura sombria,
Nosso Pai Nunca está pobre
Do pão de luz da alegria.

Pensa que o céu não esquece
A mais ínfima criatura,
E espera resignado
O teu quinhão de ventura.

Considera, sobretudo
Que precisas, doravante,
Encher de luz todo o tempo
Da bênção de cada instante.

Sê na oficina do mundo
O mais perfeito aprendiz,
Pois somente no trabalho
Teu ano será feliz.

Não esperes recompensas
Dos bens da vida terrestre,
Mas, volve toda a esperança
A paz do Divino Mestre.

Nas lutas, nunca te esqueças
Deste conceito profundo:
O reino da luz de Cristo
Não reside neste mundo.

Não olhes faltas alheias,
Não julgues o teu irmão,
Vive apenas no trabalho
De tua renovação.

Quem se esforça de verdade
Sabe a prática do bem,
Conhece os próprios deveres
Sem censurar a ninguém.

Ano Novo!... Pede ao Céu
Que te proteja o trabalho,
Que te conceda na fé
O mais sublime agasalho.

Ano Bom!... Deus te abençoe
No esforço que te conduz
Das sombras tristes da Terra
Para as bênçãos de Jesus.