sábado, 30 de abril de 2011

Diário de Uma Criança que não Nasceu

Dia 5 de outubro - Ah! Hoje teve início a minha vida.

Papai e mamãe não sabem. Eu sou menorzinho do que a cabeça de um alfinete. Mas já sei. Vou ter os olhos de papai e os cabelos castanhos ondulados da mamãe. Isto também é certo: eu sou menina.

19 de outubro - Hoje, começa a abertura da minha boquinha. Dentro de um ano, que bom! Vou poder sorrir, quando os meus pais se inclinarem sobre o meu bercinho! Minha primeira palavra? Mamã...

23 de outubro - Ih! Meu coração começou a bater. E continuará sua função, sem parar jamais, sem descansar, até o fim da vida... Meu Deus, isso é um grande milagre!

2 de novembro - Meus braços e as minhas perninhas começam a crescer. E vão continuar crescendo, até ficarem perfeitos!

12 de novembro - Ué! Agora, nas minhas mãozinhas, as unhas estão despontando... Que beleza!

29 de novembro - Hoje, pela primeira vez, mamãe percebeu, pelo bater de seu coração, que me traz no seu seio. Ah! Meu Deus, quem sabe da sua grande alegria!

3 de dezembro - Todos os meus órgãos estão completamente formados. Ih! Eu já estou grandinha...

11 de dezembro - Logo mais, já poderei ver luz, flores e cor. Deve ser tão bonito!... Sobretudo, o que me enche de alegria no meu pensamento, é poder ver minha mamãe.

12 de dezembro - Crescem-me os cabelos e as sobrancelhas. Como ficará contente minha mãezinha com a sua filha querida!

24 de dezembro - Ih! Meu coração está pronto. Graças a Deus! Meu coração não tem nenhum defeito. Vou ser uma menina cheia de vida e de saúde. Todos vão ficar alegres com o meu nascimento.

28 de dezembro - Ah! Meu Deus! Hoje, minha mãe me matou.