sábado, 5 de setembro de 2009

Amor de mãe

A vida é regida pelo amor, sem o qual nada somos, nada conseguimos! Estamos aqui encarnados para aprender, e acima de tudo aprender a amar, ao longo de nossa jornada nos deparamos com histórias de vida emocionantes, como nada acontece por acaso, cabe-nos tirar lições, pois amanhã poderá ser nós a protagonizarmos fatos semelhantes. Falaremos de um filho especial! Filho este que por contingências da vida se viu na adolescência privado do carinho materno.
Sua mãe foi vítima de uma trombose cerebral, o que a deixou em vida vegetativa sem poder falar ou articular qualquer movimento, em conseqüência disso os papeis foram invertidos, o filho teve que assumir os cuidados com a mãe.
Hoje passados 18 janeiros do acontecido, este filho especial conta com 32 anos e continua sua jornada diária, acorda cedo, banha a mãe, lhe dá de comer, troca suas fraudas, enfim, oferece todo o carinho que seu coração abriga.
Não blasfema, nem coloca a culpa em Deus pelo acontecido, antes, trata de fazer o melhor que pode a fim de suavizar a jornada que leva sua progenitora.
Não a tem como um peso a atrapalhar sua caminhada, muito pelo contrário, a considera uma flor que lhe perfuma a existência.
O que esta por trás de toda essa história? Espíritos em missão de reajuste?
Ao certo não sabemos, o que está ao nosso alcance é seu exemplo de renúncia e dedicação.
Esse fato nos força a pensar de como anda nosso relacionamento com aqueles que nos possibilitaram a benção da reencarnação?
Estamos lhes dispensando a atenção necessária? Reservamos um espaço para atende-los?
É bom nos darmos conta de que nossos atuais “velhos” são amigos para a eternidade, certamente poderemos contar com eles não apenas nessa vida mas também nas existências posteriores.
Amá-los e compreendê-los é bem melhor do que apenas suportá-los!
Artigo gentilmente cedido por Wellington Balbo