sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Apelos de Dr. Bezerra de Menezes

Orson Peter Carrara
de Mineiros do Tietê, SP
São veementes e constantes os apelos dos Espíritos em favor da aproximação dos espíritas para maior eficácia nas abençoadas tarefas espíritas. Dentre os inúmeros apelos constantes desde a obra da Codificação, destacam-se no século atual os apelos trazidos pelo Dr. Bezerra de Menezes. Nem é preciso citar um ou outro. São bastante conhecidos e divulgados, sempre citados na imprensa e mesmo em livros, embora encontrem muitas dificuldades de execução dentro do Movimento.
É aquela abordagem, aquele convite, aquele apelo mesmo para que os espíritas unam esforços, esqueçam motivos de desunião e se voltem para o trabalho comum, pois que a obra do Cristo não pode estar sujeita aos nossos caprichos e melindres pessoais.
Na verdade, o tempo de progresso espera pelo nosso trabalho em favor do progresso humano, pelas próprias luzes que a Doutrina traz.
Será que esses permanentes apelos dos Espíritos não desejam realmente dizer que precisamos superar todas essas dificuldades de relacionamento, de interpretação para juntarmos forças em favor do trabalho que se espera de cada um? Ora, pois é isto mesmo! Os Espíritos contam com nosso trabalho no exemplo da compreensão e da tolerância, virtudes basilares de nossa Doutrina. O projeto de Jesus precisa de homens dispostos à boa vontade, através da união, embora com pontos de vista distintos.
Todos tem direito de pensar o que quiserem. Superemos as divergências e unamo-nos nos pontos comuns do trabalho ativo. Ninguém é obrigado a pensar pelas nossas cabeças, afinal somos seres livres, pensantes e dotados de liberdade.
Em favor do Movimento, em atenção aos apelos dos Benfeitores, superemos as dificuldades do presente e voltemo-nos ao principal objetivo do Movimento Espírita: Aproximar os espíritas para divulgar, estudar, viver a Doutrina. Em favor do homem!
(Jornal Verdade e Luz Nº 166 Novembro de 1999)