quinta-feira, 6 de agosto de 2009

TROVAS

Ari, filho de Zefinha,Guloso como ele só,Comia porco, galinha,E outros bichos, sem dó.O Zequinha da farmácia,Chamava sua atenção,"Atrás da carne macia,Vem males pro coração!"Mas Ari nem lhe ouvia,Teimoso feito criança,A coisa que mais queria,Era encher sua pança.No aniversário da Bia,Comeu feito um condenado,Logo entrou em agonia,Com o coração enfartado.Fica aqui uma lição,Pra quem come sem medida,Quem sofre é o coração,Com excesso de comida!Córnélio Pires, p/ Djalma Argollo, Flórida, 04/09/200